Arquivos de Categoria: Timor Leste

onselho de Segurança da ONU deve anunciar em novembro fim da missão em Timor-Leste

O representante do secretário-geral da ONU em Timor-Leste, Finn Reske-Nielsen, disse hoje esperar que o Conselho de Segurança da ONU anuncie formalmente, em novembro, o fim do mandato da Missão Integrada das Nações Unidas naquele país.

“Este país fez imensos progressos nos últimos dez anos, pode caminhar pelos seus próprios pés, e espero que no próximo mês o Conselho de Segurança da ONU anuncie formalmente que a missão de manutenção de paz termina no final do ano”, afirmou Finn Reske-Nielsen.

A Missão Integrada da ONU em Timor-Leste (UNMIT) termina o seu mandato a 31 de dezembro e as autoridades timorenses já informaram as Nações Unidas, que não pretendem ter no país mais missões.

O representante do secretário-geral da ONU falava aos jornalistas no final de uma conferência, organizada pela UNMIT, sobre promoção da democracia, que teve como único orador o Presidente de Timor-Leste, Taur Matan Ruak.

O Presidente, que não prestou declarações à imprensa no final da conferência, pediu aos timorenses para trabalharem pelo seu país, dialogarem, estarem unidos e terem orgulho da sua identidade.

Sobre a conferência, Finn Reske-Nielsen lembrou que a “democracia não é uma coisa que acontece”.

“A democracia precisa de ser desenvolvida ao longo dos tempos e (…) é muito importante que os líderes e a população interajam para se compreenderem uns aos outros”, disse.

Fonte: RTP Notícias

Polícia de Timor-Leste pronta para garantir segurança no país após saída da missão da ONU

comandante-geral da Polícia Nacional de Timor-Leste (PNTL), Longuinhos Monteiro, garantiu hoje que aquela força está pronta para assumir a responsabilidade pela segurança do país, depois do final da missão da ONU, mas continua a precisar de apoios.

“A Polícia Nacional de Timor-Leste está pronta para assumir as responsabilidades (…), mas também não significa que não vamos precisar de apoios”, afirmou o comandante-geral da PNTL.

A Missão Integrada da ONU em Timor-Leste (UNMIT) termina o seu mandato a 31 de dezembro e as autoridades timorenses anunciaram que pretendem ter uma “relação inovadora” com aquela organização, excluindo a existência de qualquer missão no país.

O comissário Longuinhos Monteiro falava no final da cerimónia de condecoração com a medalha de Solidariedade do Estado timorense 30 elementos da Polícia de Segurança Pública e quatro da Guarda Nacional Republicana, que integram da Polícia da ONU que integra a Missão Integrada das Nações Unidas em Timor-Leste.

Segundo Longuinhos Monteiro, é preciso “apoio da política” para que a PNTL se “possa desenvolver e ter meios para exercer as suas funções”.

Para o comandante da Polícia das Nações Unidas no país, o superintendente português Luís Carrilho, a PNTL tem tido uma “atitude de servir a comunidade, a população, para que todas possam livremente exercer os seus direitos em segurança”.

“Penso que hoje em dia a situação que se vive em Timor-Leste, a situação de paz, segurança e estabilidade (?) é fruto de muito trabalho e esse trabalho é da Polícia Nacional de Timor-Leste”, acrescentou.

Fonte: RTP

 

 

 

Conheça a história do TIMOR LESTE

  Timor Leste é um dos mais novos países do mundo. Foi colonizado por Portugal até 1975 e, a partir desse ano, com a retirada de Portugal, foi anexado de forma violenta pela Indonésia. A intransigência da Indonésia chegou ao ponto de proibir a população da ilha de falar o português, além de perseguir, torurar e prender aqueles que defendiam a independência da ilha.
Soldado australiano observando incêndioprovocado por milícias indonésias

Inconformada com a situação, a ONU organizou, em 1999, um plebiscito, aceito pela Indonésia, por meio do qual os timorenses teriam a oportunidade de escolher seu futuro, como um povo soberano, ou, se assim quisessem, continuar atrelados ao governo indonésio.

População se preparando para votar no plebiscito
  O resultado foi que 80% da população optou pela independência. Mas os piores dias foram os que se seguiram ao plebiscito. Inconformado com a derrota nas urnas, o governo da Indonésia armou milícias na própria ilha, espalhando o terror entre a população, e muitos timorenses foram assassinados.
Milícias da Indonésia
  A ONU organizou Forças de Paz e teve papel essencial na expulsão das tropas da Indonésia e na manutenção da ordem e reconstrução do país. Nesse processo, o Brasil enviou soldados ao Timor Leste com o intuito de ajudar na sua reconstrução. Hoje, o Timor Leste é um dos oito países de língua portuguesa no mundo.
Soldado da Força de Paz da ONU acompanhando crianças no Timor Leste

Dois timorenses ganharam o Prêmio Nobel da Paz em 1996: Carlos Ximenes Belo e José Ramos Horta, porque lutaram por uma solução pacífica para o conflito em Timor Leste, ocupado pela Indonésia em 1975 e libertado em 1999.  José Ramos Horta foi eleito presidente do Timor Leste no ano de 2007

Carlos Ximenes Belo
Fonte: Blog Professor Marciano

 

 

 

Ban Ki-moon confirma retirada dos capacetes azuis de Timor Leste

DILI, 15 Ago 2012 (AFP) -O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou nesta quarta-feira que o Exército de Timor Leste é capaz de garantir a segurança do país e confirmou a retirada dos capacetes azuis até o fim do ano.

A ONU, presente no país desde 1999, ano do referendo sobre a independência que desencadeou uma campanha de violência que provocou 1.400 vítimas, anunciou a retirada dos quase 1.300 capacetes azuis até o fim do ano se, como aconteceu, nenhum ato de violência afetasse as eleições legislativas de julho.

“A recomendação de nossa equipe de avaliação é que Timor Leste não precisa atualmente de uma operação de manutenção da paz”, declarou Ban Ki-moon.

O referendo de 1999 estabeleceu a independência de Timor Leste a respeito da Indonésia, que ocupava o pequeno país desde a saída dos colonos portugueses em 1975.

A ocupação indonésia provocou a morte de um terço da população de Timor Leste

Fonte: UOL

 

 

 

Diretor do MCCE chefia missão de observação eleitoral nas eleições de Timor-Leste

Díli – O chefe da missão de observação eleitoral da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) às legislativas de Timor-Leste, Carlos Alves Moura (também diretor do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral – MCCE*), afirmou em sua visita oficial ao país que os eleitores e autoridades timorenses são os responsáveis pela a tranquilidade e expressões de cidadania mostradas no dia eleitoral.

 “A população, bem como as autoridades timorenses são responsáveis diretos pelo sucesso desta eleição, estão todos de parabéns”, afirmou o coordenador geral do Centro Nacional de Informação e Referência da Cultura Negra (CNIRC/FCP) à agência Lusa, após o encerramento das urnas, no último domingo, dia 08.

Os 645.624 eleitores timorenses escolheram entre 21 partidos e coligações entre os quais a Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente (Fretilin), de Mari Alkatiri, e o Conselho Nacional de Reconstrução de Timor-Leste (CNRT), do atual primeiro-ministro, Xanana Gusmão, que se recandidata ao cargo.

Estas eleições legislativas aconteceram três meses depois que o ex-guerrilheiro e ex-chefe das forças armadas, José María Vasconcelos, foi eleito presidente do Timor-Leste, em substituição ao histórico político e Nobel da Paz, José Ramos Horta.

O Timor-Leste comemorou o décimo aniversário de sua independência no dia 20 de maio com 41% da população abaixo da linha da pobreza e com níveis alarmantes do desemprego entre a juventude, segundo dados das agências da Organização das Nações Unidas (ONU).

Embora o país tenha nascido como uma das nações mais pobres do mundo, a economia cresce a um ritmo de dois dígitos e o Estado administra os benefícios da exploração das ricas reservas de petróleo e gás no mar do Timor.

A antiga colônia portuguesa do Timor-Leste, que foi ocupada pela Indonésia durante cerca de um quarto de século, declarou formalmente a independência no dia 20 de maio de 2002.

A missão permanecerá no país até o dia 12 de julho e reúne observadores provenientes de Angola, Brasil, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e do Secretariado Executivo da CPLP, bem como elementos indicados pelas embaixadas portuguesa e brasileira no Timor-Leste.

Fonte: MCCE

 

 

 

Timor Leste votou neste sábado para eleger um futuro sem a ONU

DILI, Timor-Leste, 7 Jul 2012 (AFP) -Timor Leste votou neste sábdo em eleições legislativas que deverão determinar se o país é capaz de garantir sua própria segurança depois da partida dos Capacetes Azuis desta jovem nação ainda traumatizada por décadas de conflitos.

Cerca de 645.OOO timorenses foram convocados para eleger seus deputados sob o olhar das Nações Unidas, que indicaram seu desejo de retirar seus 1.300 Capacetes Azuis como estava previsto, antes do fim do ano, se as eleições transcorrerem de forma pacífica.

A ONU está presente no país desde 1999.

Timor, que este anos festeja seus 10 anos de independência, se pacificou em grande parte depois que 183.000 timorenses, ou seja, mais de um quarto da população na época, morreram em meio à violência desatada pela invasão da Indonésia, que entrou no país depois da retirada do poder colonial português, em 1975.

As eleições presidenciais de março e abril passado já permitiram eleger sem incidentes o ex-guerrilheiro Taur Matan Ruak como chefe de Estado deste país minúsculo do sudeste asiático.

Até o fechamento das seções eleitorais, não houve registro de incidentes.

Fonte: Terra

Missão de Transição deixa Timor-Leste em 2012

Díli – Amerah Haq, Presidente da Missão Integrada das Nações Unidas em Timor-Leste (UNMIT), disse que a comitiva irá deixar o país em Dezembro de 2012, depois de 15 meses correspondentes ao período de transição.

Amerah Haq disse que o plano de transição foi assinado também pelo Presidente da República, José Ramos-Horta, e pelo Primeiro-ministro, Xanana Gusmão, em Díli, em Setembro.

A Presidente referiu que o referido plano se centra nas políticas de Segurança, Justiça, Governação democrática, Desenvolvimento económico-social e Apoio económico local.

«A UNMIT irá terminar em 2012. Esperamos que as eleições previstas para esse ano decorram através de um processo credível e justo, que não traga instabilidade ao país», disse Amerah Haq durante uma conferência de imprensa em Kaikoli, Dili, esta segunda-feira, 24 de Outubro.

O Primeiro-ministro Xanana Gusmão é de opinião que a Força Internacional de Estabilidade (ISF – International Stabilisation Force), deverá abandonar o país após as eleições de 2012, uma vez que o país já estará estabilizado.

Xanana Gusmão salientou que os oficiais da Austrália e Nova Zelândia, envolvidos na ISF, contribuíram para reforçar a segurança em Timor-Leste, especialmente depois da tentativa de assassinato contra si e o Presidente Ramos-Horta, em Fevereiro de 2008, mas sublinhou que o país não irá mais necessitar do seu apoio depois dos actos eleitorais, Presidencial e Parlamentar, de 2012.

Algumas comunidades expressaram a sua insatisfação para com os membros da ISF, que, segundo testemunharam, andaram pelas ruas com armas mas não terão contribuído para a segurança.

O Primeiro-ministro acusou alguns oficiais de terem entrado em edifícios considerados sagrados, sem autorização, e acrescentou um pedido ao povo timorense para que continue contribuir para a estabilidade do país.

«Apelo ao povo para mostrarmos uma boa atitude. Sabemos como viver em Paz, não precisamos de chamar entidades externas», referiu Xanana Gusmão, acrescentando que a cooperação é necessária mas não precisam que a ISF permaneça em Timor-Leste.

Fonte: Jornal Digital

O primeiro dia no Timor Leste

Depois da longa viagem, que teve até escala na África do Sul com direito a uma recepção de “Nelson Mandela”, Régis Rösing e a equipe do Esporte Espetacular chegaram no Timor Leste. Nada de moleza no primeiro dia de gravações. Chegou a hora de conhecer a realidade das crianças do país.

Sempre acompanhado pelas forças da ONU, o repórter visitou uma escola da periferia local e ganhou muito carinho da criançada. Nas fotos, Régis, o produtor Lenildo Cardoso e o repórter-cinematográfico Marcelo Bastos quase se perdem no meio de tanta alegria. Será que você consegue encontrá-los nas fotos abaixo?

O sorriso da criançada revela que nem só de tristeza e reflexos da luta pela independência do país marcam o povo do Timor Leste. Apesar das dificuldades, a esperança é alimentada nos pequenos cidadãos que um dia serão o futuro do país.

Você pode acompanhar aqui no Blog Espetacular um diário de bordo sobre tudo o que está acontecendo nessa viagem pelo mundo. Além disso também pode participar, sugerindo pautas através dos comentários!

fonte: Globo.com   http://globoesporte.globo.com/platb/ee/tag/missao-de-paz/

Timor-Leste deve assumir controle de sua polícia até junho

Comandante da Polícia das Nações Unidas no país, Unpol, diz à Rádio ONU que processo de transferência de responsabilidades corre bem e dever ser formalizado até meados do ano.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

A Polícia das Nações Unidas no Timor-Leste, Unpol, deve concluir a passagem de responsabilidade à Polícia Nacional do Timor, até meados deste ano.

O cálculo foi feito pelo chefe da Unpol no Timor, comandante Luís Carrilho. O militar está em Nova York para participar de um encontro de chefes de polícia em missões de paz. Nesta entrevista à Rádio ONU, ele disse que o Timor-Leste tem uma avaliação positiva na área de segurança.

Critérios

Mas segundo ele, para que o controle total seja realizado, o país precisa preencher todos os critérios estabelecidos em acordo com a ONU e as autoridades timorenses.

"Quando os critérios para os distritos, em termos dos critérios que foram definidos pelas autoridades timorenses, forem preenchidos, será entregue (a responsabilidade de policiamento). Contamos que será feito na primeira metade de 2011. São os distritos de Díli, capital do país, de Suai e Bobonaro, que são os dois distritos de fronteira. Neste momento a avaliação é positiva, mas falta decorrer o momento formal", explicou.

À exceção dos três distritos mencionados por Luís Carrilho, a Unpol já realizou a transferência de responsabilidade à polícia local de todo o resto do país, incluindo o distrito de Liquiça que é administrado por uma mulher, a primeira comandante policial timorense.

O treinamento de policiais do país do sudeste da Ásia faz parte das tarefas da Missão das Nações Unidas no Timor-Leste, Unmit.

Fonte: http://www.unmultimedia.org/radio/portuguese/detail/192277.html

Capitão da PMSC é condecorado pela ONU no Timor Leste

No último dia 11 de fevereiro, realizou-se na cidade de Dili, capital do Timor Leste, uma solenidade de condecoração aos policiais do contingente brasileiro que estão atuando na UNMIT – Missão de Paz da Organização das Nações Unidas (ONU) – no País.

Na oportunidade, 20 policiais foram agraciados com a Medalha "In The Service of Peace" (Em serviço da Paz). A cerimônia foi prestigiada por autoridades locais, convidados civis e por policiais das várias nacionalidades que integram a UNPOL da UNMIT.

Dentre os agraciados está o Capitão da Polícia Militar de Santa Catarina Pablo Neri Pereira. Na foto abaixo, junto com ele (direita), está o Capitão Rogério Araújo de Souza, da Brigada Militar do Estado do Rio Grande do Sul (esquerda) e o 1º tenente Werner Araújo Miquelino da Silva, da Polícia Militar do Distrito Federal (centro).

Veja a relação completa dos agraciados com a Medalha da ONU e seus respectivos Estados:

POLÍCIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL – PMDF

Coronel Edilson Rodrigues

Coronel José Wilame Vitoriano Matias

Tenente-Coronel Valverde

Major Roberto De Santana FreitasMajor Nilson Alves De Araújo

Capitão Rodrigo Camargo Campos

Capitão Robson Luiz Magalhães Pinheiro

1º tenente Werner Araujo Miquelino Da Silva

1º tenente Carlos Euripedes Barbosa

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO – PMESP

1º tenente Nelson Cesar Rosa Vieira

1º tenente Eduardo Alex Soares Camacho

1º tenente Luciano Miguel

1º tenente Ligia Pinheiro

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE ALAGOAS – PMAL

Major Rhonady Severino De Oliveira

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE PERNAMBUCO – PMPE

Capitão Domingos Lindoso Da Silva Lorena

1º tenente Mauro José Galindo CALADO

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DA BAHIA – PMBA

Capitão Gilmara Santana De Oliveira

Capitão Fernando Átila Ferreira Jr

BRIGADA MILITAR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL – BMRS

Capitão Rogério Araújo De Souza


POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SANTA CATARINA – PMSC

Capitão Pablo Neri Pereira

(Informações e imagens UN Police Brasil/ Blogspot :: Publicado por soldado Ezequiel Onedi Debortoli – Centro de Comunicação Social)

Fonte: http://www.pm.sc.gov.br/website/rediranterior.php?act=1&id=9297

%d blogueiros gostam disto: